outras Andanças… Zuca e Tuga e os Andarilhos

Zuca e Tuga e os Andarilhos
31 de julho a 07 de agosto 2016
Nível de dificuldade (emocional): mais exigente do que esperado

A Zuca e a Tuga têm dois putos que “morrem de inveja” das caminhadas das mamãs ❤

No Andanças, encontrámos uma forma de lhes dar um bocadinho, de forma mais colorida 🙂

Caminharam muito 😉 todos os dias, com muito calor.

O campismo é  em terreno selvagem, o duche é de água fria (que na realidade não é assim tão fria porque o sol não deixa), cozinhavamos o jantar, e tinham uma vista fantástica quando faziam xixi 😀

Tiveram portanto direito a tudo e … mais um bocadinho.
Brincaram, dançaram, chatearam-se e voltaram a brincar.

Fizeram amigos.

Fizeram parvoíces 🙂

E também tiveram medo, tivemos todos medo.
Estava a Tuga a curtir a sombra, chega a Zuca: amiga, vamos sair daqui, há um incêndio no parque de estacionamento do festival.
Ora o que é que nós sabemos fazer melhor? Andar. E nada mais nos passa pela cabeça, vamos começar a andar na direcção contrária ao fogo. E andámos, andámos até sermos levados no reboque de um trator, que nos deixou num cruzamento e nós..continuámos a andar.
Os filhos dão a estas situações uma outra dimensão e uma injecção de stress que ninguém merece… mas foram também eles que fizeram que, pouco tempo depois, um dos muitos locais, que se deslocaram de carro para dar ajuda, nos oferece-se uma boleia até Niza, onde passámos o dia.

Em nenhum momento nos sentimos verdadeiramente em risco, fomos das primeiras pessoas a sair do festival, e como é costume em situações de crise, a solidariedade e vontade de ajudar das pessoas que viviam nas localidades próximas foi imediata. Num instante se deslocaram para a zona do Andanças, com água, fruta e boleias – fé na humanidade restaurada.

Foi só um carro. Foi a frase que mais se ouviu..
Para outros, foi mais que isso. Muitos artistas perderam as suas ferramentas de trabalho e o sentimento de desamparo  de alguns, via-se e sentia-se.
Mais de 400 carros arderam, num dia de muito calor, junto a uma zona rodeada de árvores, onde milhares de pessoas estavam acampadas, ninguém saiu com um dedinho queimado, nada para além de carros… isto é sorte.

E a gente olha e vê aquela quantidade chapa queimada. Sem distinção, era tão bonito o Fiat da Mia como o Jaguar que estava ao lado.

DSCF5253

Nos dias seguintes a Tuga teve que praticar muito a capacidade de estar no “aqui e agora”, e ignorar a vozinha do que foi (porque é que trouxe o carro da minha mãe, podia ter trazido o meu, ou podia ter vindo de comboio, ou podia ter chegado mais tarde e não ter lugar tão perto) e o vozeirão do que vai ser (dou o meu carro à minha mãe e ando de transportes, mas depois não posso levar o cão de manhã, e ao fim do dia tenho que ir buscar o puto e depois é complicado, se calhar começa a ir da escola para casa, se calhar, se calhar não vale a pena estar a pensar nisso).

E o Andanças andou… porque a vida não pára para curtirmos a tristeza sem desperdiçar tempo, porque as pessoas relativizaram, porque foram solidárias, porque deram valor à vida… muita gente ficou e a festa continuou.

E a Zuca e a Tuga nestas Andanças, somam vivências, lições e lembranças.

É isto. É a vida ❤

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s